Quem vê focinho, não vê doença

Fique Sempre Atento!
As doenças infectocontagiosas são aquelas que podem ser transmitidas via contato direto (de animal para animal), ou via contato indireto (através de ambiente, equipamentos ou materiais contaminados). Os agentes causadores dessas doenças são os microorganismos (vírus, bactérias, protozoários e fungos), ou ainda, os ácaros. Você já deve ter ouvido falar sobre cinomose, leptospirose, giárdia, sarnas ou dermatofitose, certo?! Pois bem, essas doenças são bastante comuns no nosso meio, são facilmente transmitidas entre os animais e podem ter evolução sintomatológica muito rápida, dependendo do caso.

Prevenção nunca é demais
Felizmente, a maioria das doenças infectocontagiosas em caninos e em felinos podem ser prevenidas através da administração das vacinas polivalentes, antirrábica, traqueobronquite infecciosa, e ainda, contra giardíase, leishmaniose e leptospirose. Sendo assim, é de responsabilidade do tutor do animal manter a vacinação em dia, e evitar levar os filhotes que não estão completamente imunizados para passeios ou procedimentos estéticos.
Vale a pena lembrar, que nem todos os animais acometidos de doenças manifestam os sinais clínicos das mesmas. Alguns podem ser portadores subclínicos ou assintomáticos, ou seja, podem transmitir a doença para outros animais e contaminar o ambiente, sem apresentar nenhum sinal aparente. E, além disso, a transmissão de doenças também pode ocorrer para o ser humano, no caso das zoonoses.

Cuidados no dia a dia
Devido a estas questões, todas as pessoas que trabalham com animais de estimação devem realizar a desinfecção dos materiais, equipamentos e ambiente após o procedimento de cada cliente. Este controle visa a destruição dos microorganismos patogênicos e evitar a transmissão de doenças em clínicas veterinárias e petshops. Os profissionais também precisam utilizar luvas e equipamentos de proteção individual, a fim de controlar a disseminação e possível contagio de enfermidades.
Banheiras, gaiolas, mesas, máquinas de secagem, lâminas de tosa, pentes, rasqueadeiras podem ser mecanismos de disseminação de muitas doenças. As toalhas também, devem passar por higienização
e desinfecção, e ainda, devem ser utilizadas de forma individualizada. Animais com secreções, espirros, vômito, diarréia, coceira e perda de pelos merecem uma atenção especial, pois podem estar com a saúde comprometida.
Atualmente, a amônia de quaternária é um dos desinfetantes mais utilizados em ambientes. O álcool 70% pode ser utilizado em mesas. Sprays desinfetantes podem ser utilizados em lâminas de tosa, adaptadores,  rasqueadeiras, escovas, pentes, etc. Instrumentais devem ser esterilizados em autoclave ou estufa, de forma convencional. Então, considerando que a prevenção das doenças infectocontagiosas é um fator de extrema importância para animais e pessoas, cabe aos tutores manterem a saúde preventiva dos pets em dia, através de consultas veterinárias periódicas, vacinações, vermifugações, e aplicações regulares de medicamentos contra ectoparasitas. Também, é necessário manter a casa e os ambientes em que os pets frequentam muito bem limpos e higienizados, a fim de reduzir a exposição aos agentes infecciosos.

Melchiani Baggio
Médica Veterinária
Mestre em Ciências Veterinárias
Professora do CPEA

Clippertec::Kyklon

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *